LITORAL DO EXTREMO SUL DO BRASIL

Os 220km de praias arenosas e dunas da barra da Lagoa dos Patos até o Chuí, na fronteira do Brasil com o Uruguai, são considerados um valioso bem natural com importantes atributos ecológicos. A areia das praias e dunas age como uma barreira flexível que protege a costa contra a violenta erosão causada pelas ondas e ventos de tempestades. O ambiente de praias e dunas destaca-se pela elevada biodiversidade, composta por mais de trezentas diferentes espécies de animais e plantas, algumas raras e até sob perigo de extinção.

Atrás das praias desertas e dos vastos campos de dunas esconde-se o maior complexo lagunar do mundo, formado pelas lagoas dos Patos e Mirim. A água da chuva de cinco bacias hidrográficas de parte do Rio Grande do Sul e do Uruguai é conduzida pelos rios até essas duas lagoas. Toda essa água chega ao Oceano Atlântico através de uma estreita barra, no extremo sul da Lagoa dos Patos, onde a água doce da lagoa e a água salgada do mar se misturam, conformando assim uma região estuarina de águas salobras.

O texto acima é um trecho do livro Areias do Albardão: um guia ecológico ilustrado do extremo sul do Brasil.

 

Clique aqui e acesse ele na íntegra em PDF para conhecer a fundo os aspectos da história e geografia da região.

SOBRE A HISTÓRIA: Campos Neutrais foi a denominação dada, pelo Tratado de Santo Ildefonso (1777), a uma faixa de terra desabitada no Sul do Estado do Rio Grande do Sul cuja posse não seria de nenhuma das partes em conflito. Esta faixa se estendia dos banhados do Taim ao Arroio Chuí e até hoje, embora fazendo parte dos municípios de Santa Vitória do Palmar e Chuí, continua sendo conhecida desta forma (trecho extraído da Wikipedia). Leia mais.

Retorne para a página anterior